segunda-feira, junho 24, 2024
HomeDestaquesAtleta busca vaga em Jogos Paralímpicos após perder tudo nas enchentes do RS

Atleta busca vaga em Jogos Paralímpicos após perder tudo nas enchentes do RS

Vanderson Chaves, atleta paralímpico da esgrima, está na busca por vaga para Paris-2024. Ele contou com ajuda após perder tudo nas enchentes que atingiram o Rio Grande do Sul. Nesta segunda (20) se comemora o marco de 100 dias para os Jogos Paralímpicos.

Vanderson está em São Paulo e participa do Regional das Américas e da Copa do Mundo. No total, 17 atletas brasileiros —12 no masculino e cinco no feminino — lutam por pontos no ranking que ajudam a garantir vagas nos Jogos Paralímpicos.

O paratleta contou com auxílio para conseguir equipamentos para disputar os torneios. Ele é do Grêmio Náutico União e já representou o Brasil em Tóquio-2020 e na Rio-2016.

Consegui alguns equipamentos com o clube, e ganhei algumas coisas do pessoal dos Estados Unidos. A CBE [Confederação Brasileira de Esgrima] e o CPB [Comitê Paralímpico Brasileiro] vão dar roupas novas, e eu consegui comprar uma roupa de jogo. É um sentimento ruim de estar vindo pra competição sabendo como está a situação do Rio Grande do Sul. Mas sou atleta, tenho de seguir em frente. Tenho essas últimas competições e tenho boas possibilidades de estar em Paris.

Vanderson atua na esgrima em cadeira de rodas, classe B. Ele é de Porto Alegre e sofreu um acidente com arma de fogo em 2008.

Ele mora no andar térreo e saiu do prédio após os avisos da Defesa Civil no bairro. Vanderson conta que a moradia encheu de água e ele perdeu tudo.

“Saí de casa no sábado dia 4, quando a Defesa Civil anunciou que tinha que sair do bairro. No dia seguinte, começou a chover muito forte e alagou todas as ruas. A minha casa está embaixo d’água. Eu moro no térreo e a água chegou no segundo [andar]. Eu estou na casa de familiares”, conta.

Vanderson iniciou uma campanha online para arrecadar fundos para reconstruir a casa e a carreira. “Ainda tem água lá em casa. Vou esperar baixar para poder entrar no condomínio e ver o tamanho do estrago. A ideia é usar o valor que for arrecadado para poder começar a comprar algumas coisas para casa”.

O paratleta deixou Rio Grande do Sul por via terrestre e rumou a São Paulo em voo que saiu de Santa Catarina. Esse tem sido um roteiro comum aos atletas que precisam deixar o estado em meio à tragédia. O Aeroporto Salgado Filho, em Porto Alegre, só deve reabrir em setembro.

*Fonte: Uol

Quem leu, leu também...
segunda-feira, junho 24, 2024
Propaganda

Populares