sexta-feira, março 1, 2024
HomeBrasilRicardo Lewandowski é anunciado oficialmente como o novo ministro da Justiça

Ricardo Lewandowski é anunciado oficialmente como o novo ministro da Justiça

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) anunciou oficialmente na manhã desta quinta-feira (11/1), em coletiva de imprensa no Palácio do Planalto, o ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Ricardo Lewandowski é o novo ministro da Justiça.

Após semanas de negociações, Lewandowski aceitou, na noite de quarta-feira (10/1), o convite do presidente Lula para assumir o Ministério da Justiça e Segurança Publica (MJSP). O magistrado vai assumir a vaga deixada por Flávio Dino, que tomará posse como ministro do STF no próximo dia 22 de fevereiro.

Lewandowski vai suceder no cargo o ex-ministro Flávio Dino, que foi nomeado por Lula e aprovado pelo Senado como novo ministro do STF – ele deve tomar posse no cargo ainda este mês.

O anúncio foi feito no Palácio do Planalto. Lula estava acompanhado de Lewandowski, Flávio Dino, e da primeira-dama, Janja da Silva. Segundo o presidente, a nomeação será publicada em 19 de janeiro e o novo ministro tomará posse em 1º de fevereiro.

O presidente disse que Lewandowski foi “um extraordinário ministro da Suprema Corte”, e que recebeu na quarta (10) a resposta positiva do ministro aposentado para assumir o cargo.

“Eu acho que ganha o Ministério da Justiça, ganha a Suprema Corte e ganha o povo brasileiro com essa dupla que está aqui do meu lado, cada um na sua função”, disse.

Perfil

Antes de ingressar no STF, Lewandowski foi desembargador do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) e juiz do Tribunal de Alçada Criminal do estado.

O ministro presidiu o STF de 2014 a 2016. Em 2016, como manda a Constituição, ele presidiu no Senado, na condição de presidente do STF, o julgamento do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff.

Lewandowski foi presidente do Tribunal Superior Eleitoral nas eleições de 2010, a primeira em que vigorou a Lei da Ficha Limpa.

Quando se aposentou no STF, Lewandowski ocupava também a vice-presidência da Corte.

Além do Tribunal do Mercosul, após a aposentadoria, passou a integrar o Conselho de Assuntos Jurídicos da Confederação Nacional da Indústria (instância que preside) e a coordenar o Novo Observatório da Democracia da Advocacia-Geral da União.

Com informações do Portal G1

Quem leu, leu também...
Propaganda

Populares